Vetos na pauta, emendas na conta dos governistas, Dilma vitoriosa

O Congresso Nacional realiza nesta terça-feira mais uma sessão de análise de vetos presidenciais Mais....

Em debate, inclusão de alunos com deficiência e financiamento educacional

“Aqui estamos debatendo as estratégias de futuro, o planejamento, o estabelecimento de metas... Mais....

FGTS tem lucro recorde, mas trabalhador continua perdendo…

Em pronunciamento hoje no plenário, o senador Alvaro Dias lamentou que, enquanto o lucro do FGTS... Mais....

A verdade contra a distorção: crescimento e inclusão vieram com Plano Real

O Brasil vive o maior período democrático de sua história, iniciado com a convocação da Constituinte... Mais....

A privataria do PT: ex-diretor da Petrobras adverte para riscos do leilão de Libra

É um absurdo que um país, sem saber quanto tem de petróleo, coloque em leilão um campo com gigantesca... Mais....

 

Em debate, inclusão de alunos com deficiência e financiamento educacional

[fsg_gallery id="24"]

“Aqui estamos debatendo as estratégias de futuro, o planejamento, o estabelecimento de metas claras e possíveis. Não cabem aqui posturas de governo ou oposição, pois representamos o Brasil na elaboração de um plano que significa o futuro da educação no País”. Essa afirmação foi feita pelo senador Alvaro Dias, ao presidir, nesta terça-feira, audiência pública voltada a discutir o Plano Nacional de Educação 2011-2020. A audiência, convocada por Alvaro Dias, relator do PNE, teve como objetivo discutir temas como as fontes de financiamento fixas e estáveis da educação, a política permanente de valorização e capacitação do professor, e a inclusão de alunos com deficiência na escola regular, sem prejuízo do atendimento educacional especializado. Participaram do debate representantes do Ministério da Educação, do Conselho Nacional de Secretários de Educação, do Conselho Nacional de Educação e da União Nacional dos Dirigentes Municipais de Educação (Undime). Nos questionamentos que fez aos convidados, Alvaro Dias tocou em pontos como as alterações feitas no texto pelo Congresso que acabaram por “desresponsabilizar” a União com o financiamento da educação, o percentual do PIB necessário para garantir que sejam atingidas as metas do PNE, as fontes orçamentárias para alcançar a previsão atual de 10% do PIB, a questão da eficiência de gestão para que não haja desvios ou desperdício no uso das verbas, entre outros temas. (Postado por Eduardo Mota – assessoria de imprensa)

Espaço para as associações que defendem crianças com síndrome de Down

ad-comissao

Durante a audiência que presidiu na manhã desta terça-feira, no Senado, Alvaro Dias quebrou o protocolo e chamou a estudante Jessica Mendes, do Iesb, para fazer a entrega, aos parlamentares, de um documento com reivindicações da Federação Brasileira das Associações de Síndrome de Down. No documento, as associações defendem a aprovação do Plano Nacional de Educação, relatado por Alvaro Dias, com a redação original da Meta 4 tal como foi deliberada pela CONAE 2010. A chamada Meta 4 visa garantir o acesso à educação básica para os alunos com deficiência (os chamados alunos especiais) de 4 a 17 anos. As entidades de defesa das pessoas com síndrome de Down alegam que estudos recentes demonstram que crianças com esta deficiência aprendem mais e melhor em ambiente inclusivo, sobretudo em áreas essenciais à independência funcional do indivíduo como comunicação (oral e escrita) e habilidades acadêmicas (incluindo leitura, escrita e aritmética). (Postado por Eduardo Mota – assessoria de imprensa)

Os empréstimos secretos para Cuba e Angola, à margem da legislação

cuba e angolaEm artigo publicado pelo jornal “O Globo” nesta terça-feira, com o título “Segredos bilionários”, o jornalista José Casado critica e afirma ser “insólito” o sigilo imposto pelo governo federal às operações de empréstimo feitas pelo BNDES a Cuba e Angola. Pelas estimativas apresentadas por José Casado, o Brasil já concedeu US$ 6 bilhões em créditos públicos aos governos daqueles dois países, mas esses contratos, diz ele, acabaram virando segredo de estado, “e os brasileiros estão obrigados a esperar mais 14 anos para saber como seu dinheiro foi usado em negócios bilionários com Angola e Cuba”. O jornalista, em seu artigo, cita audiência recente no Senado, da qual participou o presidente do BNDES, Luciano Coutinho, na qual o dirigente defendeu o sigilo dos empréstimos “por observância à legislação do país de destino do financiamento”. José Casado destaca a intervenção feita na audiência, após a fala de Coutinho, pelo senador Alvaro Dias: “Então, deve o Brasil emprestar dinheiro nessas condições, atendendo às legislações dos países que tomam emprestado, à margem de nossa legislação de transparência absoluta na atividade pública?”. Como afirma o jornalista no artigo, após a pergunta do senador, “o silêncio ecoou no plenário”. Para Casado, “o governo Dilma Rousseff avança entre segredos e embaraços nas relações com tiranos”. Leia o artigo aqui. (Postado por Eduardo Mota – assessoria de imprensa)

Estadão detalha esquema que liga Ricardo Teixeira ao presidente do Barcelona

teixeiraO Jornal “Estado de S.Paulo” revela nesta terça-feira que associados de Sandro Rosell, presidente do Barcelona Futebol Clube, foram intermediários no maior escândalo de corrupção na Fifa, com o pagamento de propinas a Ricardo Teixeira e João Havelange pela empresa de marketing ISL. Documentos e registros oficiais de empresas consultados pelo “Estadão” mostram que foi uma empresa ligada a um sócio de Rosell que pagou a indenização que Teixeira e Havelange tiveram de acertar para encerrar o caso gerado pelo escândalo da ISL, empresa acusada na Suíça de ter sido usada como um banco paralelo dos cartolas brasileiros. Há pouco mais de um mês, o jornal revelou com exclusividade que parte do dinheiro de amistosos do Brasil ia justamente para contas de empresas de Rosell. Novos documentos obtidos pelo “Estadão”, porém, revelam que a relação entre Teixeira e Rosell data de muitos anos e que associados ao cartola catalão estiveram implicado em vários outros negócios e esquemas de corrupção envolvendo o brasileiro. Leia mais no “Estadão”. (Postado por Eduardo Mota – assessoria de imprensa)

Nova audiência pública para debater o PNE

adulto estudandoA Comissão de Educação realiza, nesta terça-feira (15/10), às 9h, mais uma audiência pública sobre o Plano Nacional de Educação (PNE). A  audiência foi requerida pelo relator do PNE, senador Alvaro Dias (PSDB-PR). Participam do debate a presidente do Conselho Nacional de Secretários de Educação (Consed), Maria Nilene Badeca da Costa, o secretário executivo do Ministério da Educação (MEC), José Henrique Paim Fernandes, o presidente do Conselho Nacional de Educação (CNE), José Fernandes de Lima, e a presidente da União Nacional dos Dirigentes Municipais de Educação (Undime), Cleuza Rodrigues Repulho. Leia mais na Agência Senado(Postado por Cristiane Salles-assessoria de imprensa)

FGTS tem lucro recorde, mas trabalhador continua perdendo…

Os números não mentem. O lucro do FGTS aumentou 938% nos últimos 10 anos e o valor total dos juros e correção creditados nas contas dos trabalhadores cresceu apenas 69,15% no mesmo período, enquanto a inflação chegou a 103%. Os trabalhadores brasileiros nunca foram tão explorados pelo governo na história desse país.

fgts

Em pronunciamento hoje no plenário, o senador Alvaro Dias lamentou que, enquanto o lucro do FGTS aumentou 938% nos últimos 10 anos, o valor total dos juros de correção creditados nas contas dos trabalhadores tenha crescido apenas 69,15% no mesmo período. Só em 2012, o FGTS teve um lucro de R$ 14,3 bilhões. Alvaro Dias destacou ainda o projeto que apresentou, inspirado em conferência produzida pelo economista Pérsio Arida, que tem por objetivo acabar com essa distorção. A proposta do senador, que está na Comissão de Assuntos Econômicos, estabeleceria uma única taxa de juros de mercado. “Dessa forma, os trabalhadores seriam remunerados igualmente, sem essa distorção gritante. Nós teríamos uma única taxa de juros e estaríamos remunerando, com maior justiça, os trabalhadores brasileiros, mediante a utilização do Fundo de Garantia por Tempo de Serviço e do FAT. A caderneta de poupança também teria remuneração superior”, disse (Postado por Cristiane Salles-assessoria de imprensa)

Balcão de negócios, o sistema corrupto que atrasa o crescimento do País

balcão“As riquezas extraordinárias deste País e a população trabalhadora e disciplinada certamente recomendam um crescimento maior da nossa economia. E, se não o alcançamos, é porque há um sistema vigente que tem de ser destruído, um sistema corrupto que é a matriz de governos corruptos e incompetentes”. A afirmação foi feita pelo senador Alvaro Dias no Plenário, na sessão desta segunda-feira, ao defender que esteja presente na campanha presidencial de 2014 o debate sobre o sistema atual de governabilidade do País. Para o senador, o balcão de negócios, a criação de órgãos públicos para satisfazer aliados, a cooptação de apoios em troca de cargos, são problemas que impedem o crescimento da economia brasileira. “O País vem crescendo muito pouco nos últimos anos, muito aquém das suas possibilidades. Se não destruirmos esse sistema, o Brasil não alcançará os índices de desenvolvimento compatíveis com a sua grandeza”, concluiu. (Postado por Eduardo Mota – assessoria de imprensa)

Pesquisa Datafolha anima oposição

Em entrevista hoje sobre os últimos números da pesquisa Datafolha, o senador Alvaro Dias disse que a pesquisa deixou a oposição animada, já que, a um ano das eleições, o candidato do PSDB, senador Aécio Neves(MG), aparece com 21% das intenções de votos: “A realidade refletida pelas últimas pesquisas ainda vai se alterar ao longo da campanha, mas, no momento, os números são animadores. A última pesquisa Datafolha sinalizou o potencial extraordinário de votos do único candidato de oposição: o senador Aécio Neves. Ele tem todas as condições de disputar o segundo turno e vencer as eleições”, disse.(Postado por Cristiane Salles-assessoria de imprensa)

Este material não pode ser publicado, transmitido por broadcast, reescrito ou redistribuído sem prévia autorização.