Dilma na TV com palavras soltas ao vento

brasil-protesto-rio-de-janeiro-20130620-75-size-598Esse modelo de discurso levou o povo às ruas. Palavras soltas ao vento, promessas não cumpridas e mentiras reiteradas no discurso ufanista de um governo espetaculoso ao anunciar e péssimo ao executar é causa da indignação maior dos brasileiros que protestam e escrevem nas ruas o manifesto da mudança. Dilma foi a mesma de sempre. Perdeu a oportunidade de obedecer a Nação anunciando reformas. Deveria anunciar: “Na próxima semana enviarei ao Congresso projeto de Reforma Política, para oferecer ao Brasil modelo político compatível com a realidade nacional. Farei isso porque no presidencialismo forte que nos governa as grandes reformas só ocorrem com o patrocínio da Presidência da República. Esse novo modelo político vai reduzir os índices de corrupção na administração pública. Iniciarei já na segunda-feira a Reforma Administrativa. Reconheço ser impossível governar com 39 ministérios, secretarias, diretorias, departamentos, empresas e milhares de cargos comissionados, que satisfazem os chupins da República mas esgotam a capacidade de investir do Estado, além de puxar para baixo a qualidade da administração. Vou promover já a Reforma do Ministério. Reconheço que não está à altura do Brasil. É sofrível. Foi composto no balcão de negócios para atender o apetite fisiológico dos aliados.Estou determinando auditoria para investigar desvios do dinheiro público nas obras da Copa. O país tem o direito de saber porque vamos gastar mais do que gastaram nas últimas três copas somadas.” Paro por aqui, embora pudesse ir além. A presidente falou em transparência. Como pode falar, se nas últimas semanas determinou que os gastos com viagens ao exterior serão sigilosos a exemplo do que ocorre com despesas com cartões corporativos da presidência, além de impor a tarja de secretos aos empréstimos concedidos a Cuba e Angola? Isso é transparência? Faltou com a verdade ao afirmar que empréstimos do BNDES não são concedidos com dinheiro público. Como não? São efetuados com recursos do tesouro transferidos ao Banco para empréstimos a clubes e empreiteiras com taxas de juros subsidiadas. A mentira dos últimos anos alimentou a revolta de hoje, mas a presidente não aprendeu e deve ser condenada pela reincidência desrespeitosa.

Este material não pode ser publicado, transmitido por broadcast, reescrito ou redistribuído sem prévia autorização.